terça-feira, 14 de agosto de 2012

Adele: quando o talento fala por si mesmo

É muito, mas muito agradável escutar Adele. Há um ano e quatro meses eu pude ouví-la por primeira vez e foi "amor a primeira ouvida". Como não costumo escutar rádio, não desconhecia se a cantora era nova no mercado ou não. Mas lembro que disse: "Ela é muito boa, vai fazer muito sucesso". Mas ela já estava fazendo.
Fiz uma pesquisa exaustiva sobre ela na internet, queria saber quem era aquela garota que estava conquistando o mundo. De repente, comecei a escutá-la em todos os lugares. Bares, discotecas, no semáforo fechado e também quando começou o verão, época em que os vizinhos abrem as janelas e revelam os seus gostos musicais.
E eu a achei linda desde a primeira vez que a vi. Linda no sentido exato da palavra. Ela não dançava e a sua forma física era totalmente atípica para os padrões de cantoras de sucesso, que usam o corpo e o baile como conjunto para alcançar um público maior. Opa, eis que surgia uma cantora jovem que não estava preocupada exatamente em ter ou não curvas. E o melhor de tudo, vencendo pelo talento a ditadura dos padrões predeterminados. Uma gordinha na Billboard. E não foram três ou quatro semanas, foram infinitas. Tampouco uma ou duas canções, foram várias.
Como sempre digo e reitero: a internet é uma ferramenta maravilhosa. Para os que criticam a existência dela, eu sempre digo: "... é como a faca, muitos usamos para cortar alimentos e poucos para tirar vidas." E que alimento maravilhoso para os nossos ouvidos ávidos por vozes que nos estremeçam foi dado no perfil daquela menina londrina no falecido MySpace.
"19" e "21"... queremos 24, 25, 26, 27, 28 e assim sucessivamente até acabar o mundo. Embora entendemos que ela é uma artista e necessita tempo para criar. Acho bonito esse respeito que ela tem pelo próprio trabalho e também aos fãs. Pode haver toda uma maquinária capitalista e vários assessores por trás dela, mas ela demonstra uma independência incrível. Seja verdadeira ou falsa, não importa. Nem importa se ela a partir de agora emagreça (depois da gravidez, obviamente) e dance coreografias chatas ou contagiantes. Já não importa o gênero musical e tampouco a letra de suas canções... o que ela cantar, será especial como a voz que tem.
Explico o meu entusiasmo e a certeza de que Adele é realmente suprema. Passou-se um ano do último verão europeu... eu e os vizinhos continuamos escutando as mesmas canções com a mesma gana. Muitos sucessos são efêmeros, principalmente quando são apenas pegadiços e carecem de qualidade musical. Duram uma estação e logo desaparecem. O que ganha simpatia inicialmente se esgota pelo excesso e surte o efeito oposto. Muita gente começa um verão  adorando uma canção e logo acaba sentindo aversão da mesma no final da temporada. Mas Adele é diferente, é essa cantora super talentosa que surgiu, tornou-se extremamente popular e é capaz de agradar a ocidentais e orientais. Nem o exagero de sua popularidade põe em dúvida para os mais elitistas o talento que ela tem.
Enquanto ela espera o bebê, já deu início aos trabalhos de seu terceiro álbum.


video

Um comentário:

Felipe disse...

Parabéns pela homenagem, tudo é fato...temos sorte de estarmos vivos para presenciarmos essa lenda que trouxe de volta as origens e a verdadeira arte da MÚSICA