terça-feira, 31 de julho de 2012

Vídeo erótico causa a demissão de Karina Bolaños

A vice-ministra da Juventude de Costa Rica, Karina Bolaños, foi demitida pela difusão de um vídeo pessoal que caiu na internet e se propagou rapidamente.
Ela não estava matando e nem roubando. Simplesmente fazia uma declaração apaixonada para o amante e declarava que sentia saudades dele. Não dura nem um minuto e não há nada tão erótico e muito menos pornográfico, como foi rotulado em vários veículos de comunicação.

video

A presidente Laura Chinchilla assinou o decreto de demissão da funcionária para acalmar os falsos moralistas. No mundo há bilhões. E na América Latina, ainda mais. Resultado de séculos de fé católica.
Não há ainda informação de como o material foi parar nas redes sociais. O que se sabe é que o marido da funcionária, o deputado Victor Hugo Víquez, estará afastado do trabalho por três dias, devido a uma subida de açucar no sangue.

                  Karina esperava mais apoio da presidente

Karina Bolaños declarou que o vídeo foi gravado em 2007, quando estava separada do marido. E que ele foi roubado do seu computador por um hacker que a esteve chantageando durante quase um ano. Informa também que se arrepende de não ter comentado nada com o esposo e nem com a família, que irá tomar as devidas medidas judiciais e que aconselha a todas as pessoas que são vítimas de tentativas de extorsão, devam procurar a justiça. Lamenta profundamente a decisão da presidente e disse que contava com o apoio dela.
Esse incidente, segundo a imprensa do país, chega em um momento onde a popularidade de Laura Chinchilla vem caindo nos últimos meses e isso pode prejudicar ainda mais a imagem do governo.

O maior brasileiro de todos os tempos

"O maior brasileiro de todos os tempos" é a versão brasileira do programa da BBC britânica 100 Greatest Britons, cuja finalidade é eleger o cidadão mais importante do país. O SBT é o canal responsável pela exibição e esteve colhendo votos desde o final do ano passado em seu site e a lista com os nomes seria anunciada quando a participação popular atingisse o número de um milhão.
Pela falta de critérios e indicação de nomes, os candidatos apareceram de acordo com a votação espontânea do público. Por ser um dos apresentadores de televisão mais populares do Brasil e ser proprietário do SBT, Sílvio Santos coerentemente optou por não ser um dos indicados.
A lista dos cem candidatos foi revelada e não houve grandes supresas. Quem conhece mais ou menos a própria sociedade não deve se espantar com nenhum nome que apareceu ali. Ela é uma imagem aproximada do brasileiro médio.
Políticos, religiosos, artistas em geral, esportistas e pessoas de vários segmentos sociais estão em uma lista que é um mosaico muito peculiar.
Em um país onde o fanatismo religioso vem crescendo consideravelmente não é surpresa ver nomes de personagens como Valdemiro Santiago (36º lugar), Silas Malafaia (26º) e Edir Macedo (13º) aparecerem na lista. Curiosamente o Padre Marcelo Rossi fica bem atrás deles no ranking, ocupando a 60ª posição.
Romário (92º), Ronaldinho Gaúcho (82º), Sócrates (80º), Garrincha (73º), Dedé do Vasco (63º), Zico (61º), Marcos do Palmeiras (59º), Rogério Ceni (50º), Neymar (20º), Ronaldo Fenômeno (15º) e Pelé (entre os 12 primeiros) são os onze futebolistas que integram essa lista estapafúrdia.
Outros personagens polêmicos e questionáveis compõem a "seleção brasileira de ouro". O senador Fernando Collor de Mello (78º), o cangaceiro Lampião (73º), o deputado Tiririca (48º), a apresentadora Xuxa (40º) e os apresentadores Rodrigo Faro (39º) e Luciano Huck (35º).
Entre os doze primeiros estão Ayrton Senna, Chico Xavier, Irmã Dulce, Pelé, Lula, Princesa Isabel, Tiradentes, Santos Dumont, Oscar Niemeyer, Fernando Henrique Cardoso, Juscelino Kubitscheck e Getúlio Vargas.
No meu ponto de vista, o maior brasileiro de todos os tempos foi o que dedicou a vida inteira transmitindo a mensagem de amor e paz. O que fez que muitos entendessem o significado da palavra solidariedade. O que reiterou a importância do amor ao próximo. O que pôde ter vivido em um palácio, mas que morou em uma casa humilde. O que doou tudo que recebeu aos demais. O homem que viveu conforme os princípios que acreditava. O homem que deu muito mais do que alimento material aos seus semelhantes, o homem que ajudou a alimentar a fé e a esperança no próprio ser humano. O homem que inspirava e fomentava o alimento essencial à vida humana. Você pode até não acreditar nas coisas que ele dizia, mas não há muito espaço para duvidar do que ele fazia.


Para consultar a lista e votar na enquete é só entrar no site do programa.


domingo, 29 de julho de 2012

O pai esquece, de W. Livingston Larned

"O pai esquece", "O pai perdoa" ou "Perdoa o pai" são algumas das versões traduzidas para o português do texto de "Father Forgets", de W. Livingston Larned. Ainda era um adolescente quando o li pela primeira vez e esses dias acabei me lembrando dele.

 "Escute, filho: enquanto falo isso, você está deitado, dormindo, uma mãozinha enfiada debaixo do seu rosto, os cachinhos louros molhados de suor grudados na fronte. Entrei sozinho e sorrateiramente no seu quarto. Há poucos minutos atrás, enquanto eu estava sentado lendo meu jornal na biblioteca, fui assaltado por uma onda sufocante de remorso. E, sentindo-me culpado, vim para ficar ao lado de sua cama.
Andei pensando em algumas coisas, filho: tenho sido intransigente com você. Na hora em que se trocava para ir à escola, ralhei com você por não enxugar direito o rosto com a toalha. Chamei-lhe a atenção por não ter limpado os sapatos. Gritei furioso com você por ter atirado alguns de seus pertences no chão.
Durante o café da manhã, também impliquei com algumas coisas. Você derramou o café fora da xícara. Não mastigou a comida. Pôs o cotovelo sobre a mesa. Passou manteiga demais no pão. E quando começou a brincar e eu estava saindo para pegar o trem, você se virou, abanou a mão e disse: "Tchau, papai!" e, franzindo o cenho, em resposta lhe disse: "Endireite esses ombros!"
De tardezinha, tudo recomeçou. Voltei e quando cheguei perto de casa vi-o ajoelhado, jogando bolinha de gude. Suas meias estavam rasgadas. Humilhei-o diante de seus amiguinhos fazendo-o entrar na minha frente. As meias são caras. Se você as comprasse tomaria mais cuidado com elas! Imagine isso, filho, dito por um pai!
Mais tarde, quando eu lia na biblioteca, lembra-se de como me procurou, timidamente, uma espécie de mágoa impressa nos seus olhos? Quando afastei meu olhar do jornal, irritado com a interrupção, você parou à porta: "O que é que você quer?", perguntei implacável.
Você não disse nada, mas saiu correndo num ímpeto na minha direção, passou seus braços em torno do meu pescoço e me beijou; seus braços foram se apertando com uma afeição pura que Deus fazia crescer em seu coração e que nenhuma indiferença conseguiria extirpar. A seguir retirou-se, subindo correndo os degraus da escada.
Bom, meu filho, não passou muito tempo e meus dedos se afrouxaram, o jornal escorregou por entre eles, e um medo terrível e nauseante tomou conta de mim. Que estava o hábito fazendo de mim? O hábito de ficar achando erros, de fazer reprimendas? Era dessa maneira que eu o vinha recompensando por ser uma criança. Não que não o amasse; o fato é que eu esperava demais da juventude. Eu o avaliava pelos padrões da minha própria vida.
E havia tanto de bom, de belo e de verdadeiro no seu caráter. Seu coraçãozinho era tão grande quanto o sol que subia por detrás das colinas. E isto eu percebi pelo seu gesto espontâneo de correr e de dar-me um beijo de boa noite. Nada mais me importa nesta noite, filho. Entrei na penumbra do seu quarto e ajoelhei-me ao lado de sua cama, envergonhado!
É uma expiação inútil; sei que, se você estivesse acordado, não compreenderia essas coisas. Mas amanhã eu serei um papai de verdade! Serei seu amigo, sofrerei quando você sofrer, rirei quando você rir. Morderei minha língua quando palavras impacientes quiserem sair pela minha boca. Eu irei dizer e repetir, como se fosse um ritual: "Ele é apenas um menino, um menininho!"
Receio que o tenha visto até aqui como um homem feito. Mas, olhando-o agora, filho, encolhido e amedrontado no seu ninho, certifico-me de que é um bebê. Ainda ontem esteve nos braços de sua mãe, a cabeça deitada no ombro dela. Exigi muito de você, exigi muito."

sábado, 28 de julho de 2012

Lugares gays de Roma

Diferentemente da maioria das capitais europeias, Roma não tem uma zona especificamente gay e talvez por isso, muitos acreditam que não há espaços para a diversão de pessoas LGBT.
A sombra do Vaticano acaba perpetuando a falsa crença de que não existem lugares gay-friendlys na cidade, mas isso é apenas um ledo engano dos turistas desinformados. Apesar de não ser como Madri, a Cittá Eterna oferece algumas opções até bem interessantes.


Gay Street di Roma - No próximo dia 03 de agosto será o quinto aniversário da inauguração da rua gay romana, que na realidade é apenas uma parte da Via San Giovanni in Laterano, próximo ao Coliseu. "Coming Out" é um dos bares que abre todos os dias e durante a semana comemoram noites temáticas. Além de coquetéis (5€) e cervejas (a partir de 3€), também oferece comida típica italiana e por menos de dez euros é possível comer bem.
Alibi - Com quase quarenta anos de história, é uma opção para os menos exigentes. Funciona de quinta a domingo, com uma temática diferente a cada noite. Clique aqui para ver mais informações sobre o local.
Gorgeous I am -  É uma festa que acontece todos os sábados na discoteca Alpheus, um espaço com capacidade para 2.500 pessoas, com quatro ambientes. Vale lembrar que no verão ela é interrompida. Mais informações aqui.
Muccassassina - É o evento mais badalado de Roma nas sextas-feiras de outubro até maio, na sala QUB (Via di Portonaccio, 212). Começou como uma festa exclusivamente gay e agora é frequentada por heteros simpatizantes, principalmente jovens. Conta com três pistas de dança (black, pop e house music) e uma área de techno. 

Existem vários outros lugares, por isso para os que procuram se divertir e conhecer pessoas em ambientes mais descontraídos durante a estância em Roma, é recomendável consultar a guia gay da cidade. É importante estar atento aos horários de abertura e fechamento dos locais, além do funcionamento do transporte público. 


                                        Verão em Roma

Gay Village é sem dúvida o maior evento gay de Roma no verão, cujas festas acontecem de quinta a sábado. Transforma um parque público em um grande complexo de diversão e lazer, com duas pistas de dança, bares, gym e cinema ao ar livre, além de exposições de arte. Seu calendário que está repleto de concursos, festas temáticas e várias outras ofertas para a diversa demanda do público LGBT passou a formar parte oficialmente das atividades veraneias da cidade desde o ano passado.

                                           Clique aqui para mais informações
A foto acima é uma das que estampam os cartazes espalhados por toda a cidade para divulgar o evento. Sem dúvida representa um grande avanço conquistado pela militância gay romana. 
  
Depois de vários anos indo a Roma, finalmente fui conhecer as praias mais próximas da cidade e fiquei gratamente surpreso. A poucos quilômetros do centro da capital italiana, chegamos com facilidade ao município de Ostia e encontramos uma grande extensão de praias. Talvez não sejam as mais bonitas do planeta, mas não devem nada para muitas outras europeias. 
A praia gay-friendly da costa romana, Capocotta é um lugar bonito e tranquilo, com características selvagens e está em uma reserva natural protegida. Ela começa desde o km 7.600 ao 10.100 da via Litoranea de Ostia. A entrada é livre (muitas praias italianas são privadas e para entrar é preciso pagar), e é possível alugar cadeira e guarda-sol.
O público é bem diverso e a prática de nudismo está permitida em alguns trechos. Gostei bastante do ambiente, pois a diversidade convive em plena harmonia.
Para os amantes de cruising, Settimo Cielo  é uma boa opção, já que por se tratar de um lugar selvagem, as pessoas se "perdem" entre as dunas e os pinheiros. Mas para os que não são adeptos e sentem vontade de subir nas dunas para admirar a beleza do lugar, nos stabilimentos vizinhos isso é possível. Cada um no seu quadrado sem invadir o espaço do outro.
Para chegar na praia é bem fácil fazê-lo usando o transporte público, inclusive ele é recomendável principalmente nos finais de semana, onde naturalmente o número de pessoas é bem maior e estacionar acaba se tornando uma tarefa quase impossível. Partindo da estação de Termini, devemos nos dirigir a linha B de metrô com sentido a Laurentina e descer na estação EUR Magliana e dali pegarmos o trem com sentido C. Colombo e descer na última parada. O trajeto dura mais ou menos uns 25 minutos. Fora da estação é só pegar um ônibus que percorra o litoral e em 15 minutos você estará descendo em Capocotta. O preço do bilhete de transporte é de 1,50 € para 100 minutos.



quarta-feira, 25 de julho de 2012

Ultimatum, de Álvaro de Campos

"Mandato de despejo aos mandarins do mundo
Fora tu,
reles
esnobe
plebeu
E fora tu, imperialista das sucatas
Charlatão da sinceridade
e tu, da juba socialista, e tu, qualquer outro
Ultimatum a todos eles
E a todos que sejam como eles
Todos!
Monte de tijolos com pretensões a casa
Inútil luxo, megalomania triunfante
E tu, Brasil, blague de Pedro Álvares Cabral
Que nem te queria descobrir
Ultimatum a vós que confundis o humano com o popular
Que confundis tudo
Vós, anarquistas deveras sinceros
Socialistas a invocar a sua qualidade de trabalhadores
Para quererem deixar de trabalhar
Sim, todos vós que representais o mundo
Homens altos
Passai por baixo do meu desprezo
Passai aristocratas de tanga de ouro
Passai Frouxos
Passai radicais do pouco
Quem acredita neles?
Mandem tudo isso para casa
Descascar batatas simbólicas
Fechem-me tudo isso a chave
E deitem a chave fora
Sufoco de ter só isso a minha volta
Deixem-me respirar
Abram todas as janelas
Abram mais janelas
Do que todas as janelas que há no mundo
Nenhuma idéia grande
Nenhuma corrente política
Que soe a uma idéia grão
E o mundo quer a inteligência nova
A sensibilidade nova
O mundo tem sede de que se crie
Porque aí está apodrecer a vida
Quando muito é estrume para o futuro
O que aí está não pode durar
Porque não é nada
Eu da raça dos navegadores
Afirmo que não pode durar
Eu da raça dos descobridores
Desprezo o que seja menos
Que descobrir um novo mundo
Proclamo isso bem alto
Braços erguidos
Fitando o Atlântico
E saudando abstratamente o infinito."

Em 1917, Álvaro de Campos, um dos heteronônimos de Fernando Pessoa, criou esse poema que não se torna obsoleto. Maria Bethânia o declama de forma magistral.


Há uma Nina em muitos de nós

O sentimento de desejo de vingança faz parte do patrimônio da humanidade e não reconhecê-lo é negar a própria existência. Até para os mais altruístas, ele existe. Podemos percebê-lo sem maiores dificuldades observando as pessoas que estão a nossa volta. Dificilmente encontramos alguém que não esteja de acordo em "dar o troco com a mesma moeda". É o exercício do mal de maneira justificada, o respaldo para expor o lado mais ruim de cada um sem culpa ou receio de ser criticado.
A prática de retribuir o mal depende da conduta moral de cada um, mas apesar disso, mesmo que o indíviduo não leve a cabo essa prática e até entenda que não vale realmente a pena, ele é capaz de sentir prazer em ver a inversão de papéis entre vítima e vilão, seja na vida real ou na ficção. Alexandre Dumas conseguiu expressar de maneira singular o lado ruim do personagem Edmond Dantés, no livro "O Conde de Monte Cristo". A transformação do bom marinheiro em um ser frio e vingativo, embora seja perceptível a sua contenda interior em agir contrário ao princípio que domina a sua essência.
Seja na televisão, cinema, literatura ou até mesmo na música, vingar-se do verdugo sempre garantiu aceitação por parte do público. Replicar as maldades não é condenável e garante aplausos por muitos de nós. É o reflexo do que gostaríamos de fazer com os que nos machucaram de alguma forma. E se por algum pudor moral ou religioso alguém não seja capaz ou até mesmo não se sinta atraído em revidar diretamente, sempre fica a ânsia ou esperança de que a própria vida se encarregue de fazê-lo.
Mesmo sem acompanhar as telenovelas brasileiras, é impossível não saber delas quando acesso as notícias do Brasil ou passeio pelas redes sociais. "Avenida Brasil", trama de João Emanuel Carnero, pelo visto, tem a vingança como tema principal. E devido as manifestações efusivas sobre essa novela, vejo que o "prato" esquentou nos últimos dias. A hora da troca de posições, onde a mocinha finalmente mostra as unhas e arranha com força a que fora até então, a megera. E na percepção do público, embora o papel se inverta, o conceito sobre ambas continuará sendo praticamente o mesmo.
No ano passado, a rede de tevisão norte-americana ABC apresentou aos telespectadores a série "Revenge" (Vingança), baseada na obra de Dumas. Foi uma das maiores audiências da emissora em 2011. 
Quando a reciprocidade do mal acontece, o primeiro em apanhar tem pleno direito de bater e quanto mais forte, melhor. E quando chega a hora, o regozijo é geral.
Particularmente acho um desperdício de energia viver em função de qualquer ato que não seja construtivo e positivo. A vida é maravilhosa e curta. É melhor estar em paz consigo mesmo e olhar sempre para frente.
Nesse momento vem a frase do sábio Gandhi na minha cabeça: "Olho por olho e o mundo acabará cego!".

sexta-feira, 13 de julho de 2012

Como eu te amo

Amo-te quanto em largo, alto e profundo
Minh’alma alcança quando, transportada,
Sente, alongando os olhos deste mundo,
Os fins do Ser, a Graça entressonhada.


Amo-te em cada dia, hora e segundo:
À luz do sol, na noite sossegada.
E é tão pura a paixão de que me inundo
Quanto o pudor dos que não pedem nada.

Amo-te com o doer da velhas penas;
Com sorrisos, com lágrimas de prece,
E a fé da minha infância, ingénua e forte.

Amo-te até nas coisas mais pequenas.
Por toda a vida. E, assim Deus o quisesse,

                                                                     Ainda mais te amarei depois da morte.
                                                                                                Elizabeth Barrett Browning

Espanha não dará tratamento médico às pessoas irregulares

Espanha é um dos poucos países do mundo onde a saúde pública é universal. Qualquer cidadão que estiver em solo espanhol tem esse direito garantido, mas que devido as inúmeras reformas de reajustes realizadas pelo atual governo, essa norma está com os dias contados.
A partir do dia 1º de setembro, os imigrantes que estiverem na Espanha de maneira ilegal não poderão ser atendidos pelo sistema público de saúde. Segundo os médicos, isso poderá trazer um malefício a grande escala para a população geral. Pacientes com doenças infecciosas deixarão de receber tratamento, aumentando a probabilidade de expansão das mesmas ao resto da sociedade.
Essa medida cruel e mercenária parece justa para algumas pessoas, afinal o Estado espanhol não deve se ocupar de pessoas estrangeiras. "Temos problemas demais. Eles que voltem para os seus países."
Muitos dos pacientes infectados pelo vírus HIV que são tratados aqui são procedentes de países africanos, onde a doença mata milhões de pessoas a cada ano. É de conhecimento comum que na África, a pobreza e a falta de estrutura são fatores que determinam a sentença de morte a essas pessoas. Mas isso não é problema do governo espanhol.
A falta de solidariedade no ser humano em situações extremas é o reflexo da parte ruim que compõe a conduta instintiva. Muitas atrocidades foram cometidas contra os mais frágeis em contextos similares que se repetem ciclicamente, apenas com outros disfarces.
O Brasil também recebe imigrantes de outros países que buscam receber tratamento retroviral para combater o HIV e espero que apesar das infinitas dificuldades que o país tem pela frente, o governo nunca feche as portas para pessoas que estão em situações críticas. Quando falamos de saúde, não devemos olhar o documento de identidade se temos uma pessoa sofrendo na nossa frente.

Veja a matéria no portal do jornal El País.


quinta-feira, 12 de julho de 2012

Como conhecer Madri com pouco dinheiro


Viajar é uma das melhores terapias que existe e nem sempre dispomos de dinheiro suficiente para fazê-lo. Mas às vezes é possível se aventurar com pouco.
Quando ignoramos informações sobre o destino, corremos o risco de gastar muito mais do que faríamos se tivéssemos em contas alguns pequenos detalhes.
Às vezes escolhemos um hotel com preço mais econômico, mas que pela distância dos pontos de interesse turístico acabamos perdendo tempo e dinheiro com o transporte. Optamos pelos restaurantes em lugares emblemáticos e terminamos pagando uma diferença importante entre qualidade e preço. Lembro que quando estive em Roma pela primeira vez, eu e mais dois amigos gastamos quase cem euros por uma pizza congelada, uma salada de queijo de búfala e uma garrafa de vinho na Praça Navona. Atualmente quando regresso à cidade, gasto bem menos e como em lugares onde a qualidade acompanha o bom preço.
Como moro há muito tempo aqui em Madri, decidi deixar algumas dicas importantes para quem quiser visitar a cidade de forma bem econômica. Transporte, hospedagem e alimentação são as necessidades básicas para qualquer um.

                                                Transporte

A capital espanhola conta com um dos melhores serviços de transporte público do mundo. Desde o aeroporto é possível chegar a qualquer parte da cidade usando ônibus ou metrô.
Existem bilhetes especiais para turistas, cujos preços variam de acordo com a quantidade de dias e também da zona. Eu recomendo comprar o da zona A que é o mais barato e também o mais útil para o que vem visitar exclusivamente a capital. Deixo abaixo as tarifas:

1 dia (8 euros), 2 dias (13,40), 3 dias (17,40), 5 dias (25,40) e 7 dias (33,40)

O bilhete permite um número ilimitado de viagens em ônibus, metrô e trem no período de validade. Você pode adquirí-lo no balcão de qualquer estação de metrô, apresentado um documento de identidade. Mais informações, visite o site abaixo:


http://www.metromadrid.es/es/viaja_en_metro/tarifas/abonos/contenido02.html

                                    HOSPEDAGEM

A hospedagem em um albergue além de ser barata, permite ao mochileiro conhecer pessoas novas de várias partes do mundo. Mas devemos sempre esmiuçar cada lugar, levando em consideração as avaliações feitas por hóspedes anteriores nos próprios sites dos lugares ou procurar em outros fóruns na internet.
Mesmo dispondo de um bom serviço de transporte público que encurta as distâncias, é aconselhável se hospedar no centro da cidade, pois isso facilita bastante. Lugares como a Porta do Sol, Gran Via, Plaza Mayor, Tirso de Molina, La Latina, Chueca, Tribunal são algumas referências para entender o que é realmente cêntrico. Consulte se o preço por noite inclui o café da manhã, toalha para o banho, etc. Pois alguns deles publicam valores mais baratos e cobram por esses pequenos serviços, podendo enganar os mais desatentos.
Fiz algumas pesquisas e constatei que a partir de 13 euros é possível se hospedar em um albergue com todos os serviços, desde a primeira refeição do dia até armários com cadeados para guardar os pertences pessoais.
Deixo abaixo links confiáveis com várias ofertas. Apesar disso, reitero o cuidado com a localização, serviço prestado e a valorização dos que passaram pelo lugar.
 Hostel Bookers
 Hostel World


                                             ALIMENTAÇÃO


A gastronomia espanhola é uma das mais diversas e saborosas que existe. Em Madri há uma infinidade de ofertas de restaurantes de várias regiões do país e também do mundo. E como na maioria dos lugares turísticos, os preços variam bastante.
Para os mochileiros que pretendem gastar menos de dez euros em uma refeição,  encontrarão restaurantes que oferecem "menús" por esse valor. São pratos feitos que inclui uma entrada, um segundo prato, bebida, sobremesa ou café.
Existe uma rede de restaurantes de bufett livre que abrange toda a geografia espanhola, com vários endereços em Madri. Durante o dia é possível comer o que quiser, com variedades de saladas, pratos quentes, sobremesa e café por 9,95 euros. Se chama "Fresc Co" e é um lugar para quem quer comer sem frescura.
E como sabemos, na Espanha existem as famosas tapas que acompanham cada bebida que você consome nos bares, apesar de não ser tão frequente como antes. Inclusive muitos madrileños até se queixam porque essa cultura já vinha sendo dissipada e com a atual crise econômica, isso se agravou. Mas ainda podemos encontrar locais que seguem a tradição, como o bar El Tigre que cobra 2,50 por uma cerveja acompanhada das maiores tapas da cidade.
Na cervejaria 100montaditos uma jarra de 500ml de cerveja custa apenas um euro e os "montaditos" (pequenos pães recheados com diversas variedades) variam de 1 a 1,40 euro, sendo que nas quartas-feiras tudo é vendido a 1 euro, inclusive saladas. Virou uma febre em Madri e estão espalhadas pela cidade inteira. Outra que vem ganhando fama e se estendendo também é a La sureña, eu ainda não estive, mas ouvi bons comentários. A promoção que todo mundo adora é a de 5 garrafas pequenas de cerveja em um balde de gelo por apenas 3 euros e as variadas porções abundantes por 6 euros.
Para quem gosta de leitão assado (cochinillo) e pode gastar entre 40 e 50 euros, recomendo um almoço ou jantar no restaurante registrado no Guinness como o mais antigo do mundo, El Botin. Aberto desde 1725, teve clientes ilustres como Goya, Hemingway, Pérez Galdós e Truman Capote. Está localizado ao lado da Plaza Mayor, na calle Cuchilleros, 17. 



                                Cultura e diversão


Madri é uma cidade plural e tem um leque amplo de possibilidades de diversão para os seus habitantes e visitantes.
Os principais museus da cidade tem a entrada grátis em horários especiais do dia, como o Reina Sofia (de segunda a sexta-feira, das 19h às 21h; sábado das 14h30 às 21h; domingo das 10h às 19h), o museu do Prado (de segunda a sexta-feira das 18h às 20h, domingos e feriados das 17h às 19h) e o museu Thyssen (grátis para algumas exposições temporárias, mas para visitar a coleção permanente a entrada é de 9 euros).
Os pontos mais emblemáticos estão relativamente próximos um do outro no centro, portanto é aconselhável ir andando. Puerta del Sol, Plaza Mayor, Plaza de la Cibeles, Gran Via, Palácio Real, bairros de Chueca, La Latina e Lavapiés são lugares obrigatórios.
Algumas boas alternativas para um passeio mais descontraído são os parques, o do Retiro, por exemplo, é um lugar muito bonito e que vale a pena conhecer. O do Templo de Debod também é outra boa pedida para ver o entardecer de Madri.
Para os que gostam de dançar e conhecer gente, não se sentirão decepcionados, pois existem bares e discotecas para todos os gostos de segunda a segunda. A entrada é grátis em vários lugares ou é cobrada uma consumição mínima. Atualmente a promoção de dois drinks por 15 euros está presente em quase todos os convites que te entregam quando você caminha de noite pelo centro da cidade. Há ofertas ainda mais baratas e é comum que "promoters" te ofereçam um "chupito" (pequena dose de algum licor) grátis para conhecer o local que eles promovem.
É impossível não gostar de Madri, uma das cidades com mais vida da Europa e com uma ótima estrutura para receber bem o turista.
























Espanha agoniza

Ontem foi outro dia de más notícias para os espanhóis. Embora os noticiários recordavam o segundo aniversário da conquista da Copa do Mundo, momento histórico de alegria para um povo que ama o futebol, a boa lembrança passou desapercebida por muitos. Aqui se valoriza o circo, mas sempre quando o pão está garantido. Há dois anos se comemorava com alegria e entusiasmo o gol de Iniesta, apesar da gravidade da crise econômica. Naquela época, a oposição criticava duramente qualquer medida do governo e condenava de forma veemente qualquer subida de imposto. Hoje assumindo a situação, a conduta segue igual e de maneira mais agressiva.
Desde que chegou ao poder, Mariano Rajoy não fez outra coisa que criticar o seu antecessor e responsabilizá-lo por todas as mazelas atuais, para justificar todos os cortes de gastos e reformas absurdas que realiza.
A reforma trabalhista foi uma violação aos direitos dos trabalhadores, usurpando as garantias justas dos mais fracos e dando o chicote na mão dos empresários. A nova política não fomentou a criação de novos empregos e nem o fará a longo prazo.
Há quatro anos a palavra "crise" faz parte do cotidiano do espanhol. "Austeridade" é outra que vemos, lemos, escutamos e repetimos constantemente. E quando pensamos que a situação está perto de se estabilizar, dentro da gravidade, vem o primeiro ministro e anuncia mais cortes.
O que comemorara o "acordo" conseguido para "salvar" a Espanha em outro momento, garantindo que o resgate europeu não afetaria o bolso da população, faz um discurso pra lá de demagógico para comunicar a subida do IVA, de 18 para 21%. E até pouco tempo, ele jurava de pés juntos que não tomaria essa medida.
Além da subida do Imposto de Valor Agregado, anunciou outros vários ajustes, entre eles, a suspensão do abono de Natal dos funcionários públicos e a redução do valor do seguro-desemprego no sexto mês, de 60% a 50%.
Atualmente a Espanha está sendo governada pelas autoridades da União Europeia que, apesar das experiências equivocadas com outros países europeus, continua atuando da mesma forma. Não é preciso saber muito de economia para entender que a austeridade não é a solução dos problemas em um contexto extremamente capitalista.
Enquanto os colarinhos brancos passeiam pelos corredores dos parlamentos, a massa agoniza nas ruas.

quarta-feira, 11 de julho de 2012

Bolsonaro é a caricatura do gay reprimido

"Eu sou um símbolo, o desejo de consumo dos gays. O que eles querem é macho!" - respondeu o deputado Jair Bolsonaro ao repórter Maurício Meirelles do programa humorístico CQC, da Band. A pergunta era se ele iria de férias para São Francisco (EUA), assistir a Parada Gay.
Um deputado federal tem direito a 55 dias de férias, 15 salários ao ano, além de muitos outros benefícios. São funcionários que deveriam trabalhar para legilslar a favor de uma sociedade mais justa. Empregados de alto cargo que representam o povo e deveriam no mínimo, respeitar todos os cidadãos.
Esse linguajar vulgar e agressivo que perpetua a discriminação contra os homossexuais é habitual no deputado em questão. E infelizmente ele não recebe nenhuma punição por isso. Está protegido pela imunidade parlamentar que lhe assegura ampla liberdade de expressão, para que não sofra nenhum tipo de abuso ou violação. Está por cima do bem e do mal.
Existe uma parcela da sociedade que os adjetivos "canalha" e "reacionário" cabem de forma exata. Para um país que pretende ser democrático, a "liberdade de expressão" é o argumento perfeito para respaldar o livre exercício de expressar uma opinião, independente se ela agride e fere a dignidade dos demais.
Como sou gay, tenho pleno direito de responder ao deputado Jair Bolsonaro. Assim como ele não pode generalizar um coletivo, eu tampouco posso contestá-lo por todos.
Quando ele diz que é um símbolo, realmente é uma afirmação bem acertada. Ele representa a miséria humana em todos os sentidos morais. "... o desejo de consumo dos gays..." - essas palavrinhas delatam o medo do energúmeno, pois ligar sempre a homossexualidade ao sexo, é algo comum nas pessoas que não tem confirmada a sua própria sexualidade. "... o que eles querem é macho!" - provavelmente esse seja o desejo frustrado do idiota. Não digo que todos os homofóbicos sejam realmente homossexuais reprimidos, pois o preconceito contra os gays está impregnado na sociedade e o ódio é pregado há muito tempo. Mas Jair Bolsonaro é a própria caricatura do gay que foi oprimido por uma programação social terrível que impede as pessoas de serem elas mesmas. Esse ódio e esse cerceamento às pessoas LGBT nada mais é que o sentimento primitivo da inveja.
Bolsonaro inspira um sentimento ruim: pena. Esse sujeito tão mal resolvido deveria ser banido da nossa política, pois antes de entrar nela, ele já havia sido corrompido pelo medo de assumir os seus verdadeiros desejos. Não vejo muita diferença entre ele e o falecido Clodovil.

segunda-feira, 9 de julho de 2012

Uma boa notícia

Em um país onde existe tanta desigualdade social, produto da corrupção agressiva que está impregnada em todos os setores, ler uma notícia de demonstração de honestidade produz uma sensação de alegria.
O casal de moradores de rua que encontraram na madrugada desta segunda-feira, um saco com quase vinte mil reais e o entregou para a polícia, chamou a atenção da imprensa e virou notícia.
Aconteceu em São Paulo, e o rapaz, Rejaniel de Jesus Silva Santos, de 38 anos, é procedente do Maranhão e vive embaixo do viaduto Azevedo há quatro meses, onde conheceu a atual parceira, Sandra Regina Domingues.
"A minha mãe me ensinou que não devo roubar e se ver alguém roubando devo avisar a polícia. Se ela me assistir pela TV lá no Maranhão vai ver que o filho dela ainda é uma das pessoas honestas deste mundo", disse Santos, segundo o portal da Folha de São Paulo.- Essa frase demonstra o quanto é importante o papel dos pais na educação dos filhos. Desde cedo é importante transmitir esses valores, pois quando somos crianças, aprendemos dos adultos. Embora Machado de Assis dizia: "A ocasião não faz o ladrão, faz o roubo. O ladrão já nasce feito!", eu discordo. Normalmente é a sociedade que faz o ladrão.
No saco encontrado, haviam cupons fiscais de um restaurante chinês que havia sido roubado, dita evidência indica que o dono do dinheiro já está praticamente identificado.
Rejaniel deveria ir até Brasília, conversar com nossos políticos. Pois se todos agissem como ele, provavelmente não haveriam pessoas sem teto no Brasil. 




sábado, 7 de julho de 2012

Garota de Ipanema completa 50 anos

A canção brasileira mais universal, sendo a mais executada no século passado, depois de Yesterday (Beatles), completa 50 anos.
Em 1962, no Bar Veloso (atualmente Garota de Ipanema), Tom Jobim e Vinícius de Moraes já tinham composto a música, mas não estavam convencidos com a letra. Então rebatizaram com a que hoje é mundialmente conhecida, quando viam Helô Pinheiro indo para a praia. A moça morava na Rua Montenegro (que hoje é Rua Vinícius de Moraes) e passava  em frente ao bar, nas suas idas e vindas ao caminho do mar. A jovem só soube que foi a musa inspiradora dos músicos depois de alguns anos.

                           Helô Pinheiro, a beleza da Garota de Ipanema na época que não existia photoshop

"La Chica de Ipanema" é sempre a desculpa perfeita para socializar com um brasileiro, além do futebol e a caipirinha. Já escutei "Girl from Ipanema" em diversos sotaques e inúmeras versões.
Pery Ribeiro foi o primeiro a gravá-la e meses depois, Stan Getz e João Gilberto a tornou internacional. Vestida e despida por artistas de várias partes do mundo, a música que está no consciente e subconsciente coletivo da humanidade, apesar de meio século desde a sua criação, continua atual e transmitindo a ideia de um Rio de Janeiro idílico. É a expressão em forma de música da imaginada essência brasileira, a da despreocupação, do charme, da sensualidade e a da beleza.
Frank Sinatra, Madonna, Cher, Sepultura, Nat King Cole, Shirley Bassey, Ella Fitzgerald, Diana Krall, The Supremes, Sara Vaughan, Mina Mazzini, Nana Mouskouri entre centenas de outros cantores de diferentes gêneros musicais interpretaram em distintas línguas a "Garota de Ipanema".

                                                        Frank Sinatra e Tom Jobim

O disco póstumo de Amy Winehouse traz a última versão internacional e Xuxa ao lado de Daniel Jobim (neto de um dos criadores) foram os últimos a aumentarem a lista diversa de regravações.
Desde que começou 2012, já li várias reportagens na imprensa internacional ressaltando o quinquagésimo aniversário da eterna Garota de Ipanema. Na semana passada, assisti em um telejornal espanhol,  uma reportagem destacando a fama mundial da música.

                                    Ella Fitzgerald interpreta a versão da música, substituindo "girl" por "boy", em 1965

                                     Garota de Ipanema em Hollywood

Em 1967, o saudoso e talentoso diretor Leon Hirszman dirigiu um filme com o título da música, e apesar de contar com o roteiro de Vinicius de Moraes, a história é independente da canção. O curioso é que é muito difícil saber mais sobre essa película e até pouco tempo eu desconhecia que Glauber Rocha fora o co-roteirista. A bossa nova é a essência da trilha sonora, com a exceção de "Por Você", um rock de Vinícius, interpretado pelo jovem Ronnie Von.
 A música foi usada em incontáveis filmes de Hollywood, entre eles: The Color of Money (1986), Tin Men (1987), The Fabulous Baker Boys (1989), Wayne´s World 2 (1993), North (1994), Mallrats (1995), Mrs. Winterbourne (1996), The Cable Guy (1996), The Stupids (1996), Vegas Vacation (1997), Deconstructing Harry (1997), Deep Rising (1998), Out of Sight (1998), Babe: Pig in the City (1998), the Emperor´s New Groove (2000), Impostor (2001), Catch Me If you Can (2002), Finding Nemo (2003), The Cat in the Hat (2003), The Live and Death of  Peter Sellers (2004), Mr. & Mrs. Smith (2005), V for Vendetta (2005), Alpha Dog (2006), The Invasion (2007), Despicable Me (2010), entre outros.
O certo é que a bossa nova é um gênero que transmite sofisticação e requinte e "Garota de Ipanema" nos transporta de forma imediata a esse universo onírico. 

                                                   A letra original

 Veja o vídeo abaixo com a versão da música com os versos originais, interpretada por Julie Philippe e Luiz Zago em 2008 no show de 50 anos da Bossa Nova, em Florianópolis (SC).

Vinha cansado de tudo, de tantos caminhos
Tão sem poesía, tão sem passarinhos
Com medo da vida, com medo de amar.
Quando na tarde vazia, tão linda no espaço
Eu vi a menina que vinha num passo
Cheio de balanço caminho do mar.
 
 

Madri Rio

Madri é uma das cidades mais arborizadas do mundo. Além das milhares árvores plantadas nas calçadas, a cidade alberga numerosos parques que contribuem significativamente para a qualidade de vida de seus habitantes.
No dia 15 de abril de 2011 foi inaugurado o Parque Madri Rio, um dos maiores projetos urbanísticos dos últimos tempos na Europa. A ideia surgiu a partir do aterramento de quilômetros de rodovia que marginalizava e sufocava o principal rio da cidade, o Manzanares.
Contrariamente a algumas capitais europeias, Madri ignorava o seu rio. Seu arredor passava desapercebido pelos que a visitavam. O ambiente era de abandono. Mas felizmente isso mudou.
O parque fluvial conta com mais de dez quilômetros de itinerários peatonais e ciclistas. Nele é possível observar alguns tesouros históricos como a Ponte de Segóvia (1582), Ponte de Toledo (1718) e a Ermita da Virgem do Porto (1716). O contraste com os novos monumentos é harmônico, e as áreas esportivas e lúdicas também ajudam a compor a magia deste lugar que depois de mais de sete anos de obras, mudou consideravelmente.
A um quilômetro e meio da minha casa, tenho aproveitado o verão para fazer minha caminhada diária de uma hora nesse lugar. Outro dia, pude contemplar a Ponte de Segóvia esplendidamente iluminada pela lua cheia. Seria uma fotografia perfeita.





















quinta-feira, 5 de julho de 2012

Riquelme: "Assim não posso continuar"

Juan Román Riquelme está inconsolável. Depois da derrota no Pacaembu, o capitão do Boca Juniors declarou em entrevista que abandonará o clube, do qual é torcedor de coração. Com a sensação de que já não acrescenta nada mais no time, um dos maiores ídolos da torcida do time argentino, vem abaixo e diz que apesar do amor que sente pela camisa que veste, irá abandonar o futebol.
"Se meu filho quiser, continuarei jogando. Mas não aqui!"
O ícono "bostero" informa que já comunicou a sua saída ao presidente do clube. Desolado, explicou que a decisão foi exclusivamente dele e que não existem fatores externos que tenham influenciado a sua despedida.
Os torcedores do Boca Juniors estão duplamente triste. Primeiro por perderem a oportunidade de conquistar a sétima Copa Libertadores e, segundo, por perder um dos maiores craques da história do time.
É uma pena que um jogador tão talentoso como Riquelme deixe o futebol com esse sabor amargo.
"Hasta siempre, campeón!"

 



quarta-feira, 4 de julho de 2012

Os três filmes de John Cameron Mitchell

Escritor, produtor, ator e diretor de cinema. John Cameron Mitchell já recebeu boas críticas como ator pelos trabalhos na Broadway. Nascido no Texas (EUA), é um personagem polêmico e apesar de ter dirigido apenas três filmes, já com o primeiro acabou ganhando culto entre intelectuais e personagens do mundo underground.
 Em 2001, levou ao cinema "Hedwing and the Angry Inch", baseado no espetáculo musical homônimo escrito e protagonizado por ele três anos antes. O filme conta a história de um transgênero que é músico de rock e que persegue a um dos seus ex-amantes, que plagiou suas canções. Em um contexto atípico, mostra cores e dores, lágrimas e risadas.


Trabalhou durante dois anos na sua segunda película, que foi apresentada em maio de 2006 no Festival de Cannes. "Shortbus" é um dos meus filmes favoritos. Como se de uma colcha de retalhos se tratara, essa polêmica obra conta várias histórias e todos os personagens acabam no bar "Shortbus", um lugar onírico para muitas pessoas de mente bem aberta. Aborda a sexualidade e o sexo de maneira bem natural, desenvolve os conflitos internos e os expõem de maneira simples. Há várias cenas de sexo explícito entre casais homossexuais e heterossexuais, além de trios e orgias. E são nesses momentos que concordamos definitivamente com o talento de John que pretendia mostrar o sexo sem nenhum resquicío de vulgaridade e conseguiu de forma singular. É um filme fundamentalmente romântico.
Tive a oportunidade de assistir em Madri, convidado por um amigo, o show do australiano Scott Matthew, responsável pela trilha sonora do filme e que também aparece cantando no "Shortbus". Simplesmente incrível.

 
 O terceiro filme de John Cameron Mitchell se chama "Rabbit Hole" (no Brasil "Reencontrando a Felicidade"), um drama protagonizado por Nicole Kidman (pelo qual foi indicado ao Oscar de melhor atriz em 2011), Aaron Heckhart e Dianne Wiest. 
Diferente dos anteriores filmes, "Rabbit..." é mais dramático e denso. Narra a tentativa de um casal retomar a vida depois da morte trágica do único filho, ainda criança. O marido se recusa a esquecer o filho e procura apoio em pessoas estranhas, enquanto a mulher deixa o trabalho de executiva e tenta redefinir sua vida ao lado dos familiares e amigos. Se abre um grande abismo entre os dois e mais uma vez o diretor demonstra a capacidade de prender e envolver o espectador.





terça-feira, 3 de julho de 2012

Conheça o trabalho do seu vereador

No próximo mês de outubro teremos eleições municipais e cabe a nós mudar a realidade atual da nossa cidade. Normalmente o prefeito é o que recebe a avaliação da população e esquecemos de analisar o trabalho dos vereadores. Existem políticos que parecem vitalícios nas câmaras municipais, exercendo vários mandatos. Muitos deles passam inadvertidos e só aparecem em época de captar votos. Raras são as vezes que apresentam projetos concluídos, surgem com o sorriso no rosto oferecendo promessas que nunca serão cumpridas.
O brasileiro vota no vereador que ele conhece sem conhecer. Elege por simpatia o que lhe deu aula, o mecânico do bairro, o primo da vizinha e também o traficante de drogas ("o sangue bom"). A escolha é feita de forma parcial e normalmente não existe um compromisso com a política. É ajudar o vizinho a conseguir um bom cargo.
A promessa de emprego, o churrasco para os "amigos", a cesta básica, o material de construção para a lage, entre outros regalos. É a moeda de troca. É o investimento barato do político que carece de honestidade e não pensa em trabalhar para a população. Visam apenas os interesses pessoais.
Falta na política brasileira, pessoas comprometidas com o trabalho social. Dizem que entrar para a política ou para a polícia é um verdadeiro desafio para as pessoas de bom caráter, porque elas acabam entrando em um mundo onde elas abandonam com vida, ou permanecem sendo coniventes com a corrupção. Muitas vezes acabam também sendo corrompidas.


Generalizar não é inteligente, pois ainda existem políticos que realmente exercem a sua função honradamente.  Cabe a você verificar e acompanhar o trabalho de cada um. Se a sua rua está destruída, o transporte público não funciona, o seu bairro não tem a iluminação adequada, se o posto de saúde é um verdadeiro caos, seja consciente de que você tem muita responsabilidade nisso também.
Acompanhe pelo site da prefeitura de sua cidade o que foi feito nos últimos quatro anos pelos funcionários que você ajudou a eleger. Seja responsável e analise minuciosamente como foi a legislatura de cada candidato que se apresenta a reeleição. Investigue e conheça bem o projeto de cada rosto novo que se apresenta. 
Todo cidadão tem direito a informações sobre o trabalho dos políticos. Cada município tem a obrigação de transparência.
Deixo abaixo, como exemplo, o link da câmara municipal do Guarujá, onde podemos fiscalizar o que os vereadores fizeram pela cidade. Também o endereço da página web do portal de transparência da prefeitura da cidade.


http://www.camaraguaruja.sp.gov.br/index.php?pg=resultado_busca


http://www.guaruja.sp.gov.br/informacoes-uteis/portal-da-transparencia


O preço do seu voto é o que você vale na sociedade. Vote consciente!


segunda-feira, 2 de julho de 2012

"Jogo bonito" se veste de vermelho


Nunca pensei que fosse capaz de torcer para outra seleção que não fosse a brasileira. Morando há mais de onze anos na Espanha, não direi que tenho o coração dividido, mas sim, maior. E nele cabe esse sentimento de torcida por uma seleção que hoje é a melhor do mundo.
Quando cheguei aqui, fiquei surpreso com o amor dos espanhóis pelo futebol. Aqui também, esse esporte que é quase universal, é paixão nacional. Nomes de vários jogadores brasileiros fazem parte da história dos grandes times, esse foi um dos temas de várias conversas iniciais com amigos atuais. O respeito e a admiração deles pelo nosso "jogo bonito" (eles usam muito essa expressão para se referir a nossa forma de jogar) sempre foram patentes.
Estiveram sempre na arquibancada prestigiando esse esporte, que às vezes se confunde com arte, no papel de espectador. Percebia certo pessimismo e derrotismo por parte deles quando se referiam a seleção, reflexo claro da carência de títulos importantes.
Mas em 2008, o que fora criticado muitas vezes pela imprensa, Luis Aragonês, iniciou a temporada da glória vermelha. Com a conquista da Eurocopa neste ano, a seleção "roja" chegou otimista na Copa do Mundo de 2010 e, apesar da derrota no primeiro jogo contra a Suiça, fizeram uma campanha limpa e bonita. Ganharam pela primeira vez o maior título do futebol mundial. Brasil havia sido eliminado pelos holandeses e ver os espanhóis os derrotando foi uma alegria dupla.
Recordo o gol de Andrés Iniesta que definiu o jogo com a mesma sensação de quando Ronaldo marcou os dois gols contra a Alemanha, há dez anos, tornando o Brasil pentacampeão.
Assisti o jogo ontem com incredulidade, pois não subestimei os italianos em nenhum momento. A atual supremacia espanhola no futebol é indiscutível. Sim, esses garotos merecem o título de campeões. Não são bons, são excelentes. E desde a perspectiva de um torcedor que já não se sente estrangeiro, aplaudo e comemoro cada vitória dessa grande seleção. O elenco que compõe esse grande time é impecável dentro e fora de campo.


Daqui a dois anos, Espanha chegará no Brasil sendo a favorita. Infelizmente não tenho grandes expectativas quanto a seleção brasileira, pois uma equipe em um campeonato desta proporção não sobrevive apenas com dois ou três nomes. Espero que até lá, surjam novos milagres e que eu possa ver o jogo bonito vestido de verde e amarelo, outra vez.