segunda-feira, 7 de maio de 2012

Conviver com a fibromialgia

Em nível de curiosidade, deixo aqui uma pequena lista de personagens que padeceram ou padecem de FM.

     
  • Flea, músico integrande da banda  Red Hot Chili Peppers 
  • Keith Jarrett, pianista de jazz 
  • Sinead O´Connor, cantora
  • Pablo Gonzalez, diretor de orquesta 
  • Robbie williams, cantor
  • Frida Kahlo, pintora mexicana
  • Tássia Camargo, atriz
  • Zizi Possi, cantora
  • Katie Holmes, atriz
  • Jo Guest, atriz
  • Radek Stepanek, tenista
  • Cher, cantora e atriz



                                               
                                              Experiência pessoal


Acredito que a melhor forma de lidar com qualquer adversidade é manter a calma, aceitar a situação e ter paciência. Existem circunstâncias em que a nossa atitude é essencial para determinar o resultado, outras em que devemos apenas conservar a fé e o otimismo. 
Quando a vida te conduz a uma esquina e decide que ali você deve permanecer por algum tempo, o melhor modo para não perder a sanidade mental é preservar a esperança de que momentos mais agradáveis virão. Não podemos permitir, nunca, o desespero. 
A fibromialgia é uma síndrome que afeta milhões de pessoas no mundo. É a doença silenciosa para os olhos alheios, que não mata e nem deforma o paciente, mas grita constantemente dentro. Há dias que a dor se cala, e outros em que ela berra de forma escandalosa. Há momentos em que ela tenta silenciar o positivismo para te arrastar ao limbo. Não permita isso nunca. 
Quando estiver sentindo muita dor, deite-se na cama, respire fundo e feche os olhos. Sinta cada músculo do seu corpo, começando pela testa até os dedos dos pés. Faça isso devagar... procure relaxar. Visualize mentalmente uma imagem agradável e se concentre nela. Permaneça assim o tempo que achar necessário, depois deixe a mente em branco. Aprenda a trabalhar a respiração e tome o controle do seu corpo.
Os pensamentos são como os pássaros... se os alimentamos, aparecem cada vez mais. Mas quando deixamos de lhes dar alimento, eles desaparecem.  Portanto, por muito difícil que seja, pense sempre em coisas boas.
Pense e acredite que essa situação é passageira. Apesar dos dias se transformarem em décadas, não há mal que dure cem anos. Não deixe a depressão chegar, mas se ela já está aí, aceite-a e não sofra.
O sofrimento é o choque do que desejamos com a realidade. O primeiro passo é sempre a aceitação. Deixar de pensar que você poderia estar trabalhando ou fazendo as coisas que você gosta. Entenda as suas limitações do momento e com tranquilidade é mais fácil superar. O desespero tende a potencializar a dor e isso facilita o risco de depressão e a sensação de cansaço, principalmente quando esse estado é prolongado.
Estou afastado do trabalho há alguns meses por conta da crise que estou sofrendo. Há mais de 150 dias não treino musculação e tampouco nenhuma outra atividade esportiva. Nós, fibromiálgicos, devemos fazer um grande esforço para fazer qualquer tipo de exercício aeróbico, isso contribui muito para melhorar nossa qualidade de vida. Mas só nós sabemos que há períodos que isso se torna impossível. Devemos escutar o nosso corpo. Cada um conhece sua própria limitação. 
Durante  esse tempo tive de prescindir de outras atividades de características pessoal e social. Tantas coisas que gosto de fazer, mas que não posso estar fazendo. E sei que isso, para muitas pessoas, é bastante complicado. Por isso recomendo não pensar que poderíamos estar vivendo outras coisas, pois esse comportamento é pernicioso para nossa recuperação. 
Quem padece de fibromialgia deve ter um acompanhamento médico. Existem várias terapias alternativas que ajudam a paliar os sintomas. Recebemos muitas recomendações e por se tratar de uma síndrome, cuja causa é desconhecida, há muitas especulações a respeito que acabam nos confundindo. 
Volto a escrever sobre esse assunto porque compreendo o desespero de muitas pessoas. Pois vejo que muitas chegaram ao meu blog, pesquisando sobre o tema. Sei que procuram respostas que possam trazer esperanças, conhecer outras pessoas que têm a mesma enfermidade para trocar experiências e principalmente compreensão. Por isso relato minha vivência em primeira pessoa e o faço dirigido especialmente aos fibromiálgicos.
Não importa seu credo, sua religião ou onde você referencia a tua fé, mas ela é imprescindível para evitar o sofrimento. Não dramatize. Como sempre digo, podemos ser vítimas, mas nunca devemos assumir o vitimismo. Ele é destrutivo para a nossa saúde mental e isso reflete no nosso corpo. 
Recomendo às pessoas que estejam enfrentando essa situação ou qualquer outra dificuldade, que procure se conhecer melhor através da espiritualidade. Os ateus também podem fazê-lo, porque a religião não é a única via para isso. Aqui mesmo neste blog, traduzi  uma conferência de Anthony de Mello, que com suas palavras e ensinamentos fez com que eu enxergasse determinadas coisas de outra forma e enfrentá-las de forma mais feliz! 

                                          A importância da alimentação

 Nós que padecemos de dores crônicas por conta da fibromialgia, devemos procurar manter uma alimentação saudável e equilibrada. Os fármacos que são usados para o tratamento dificultam a absorvência de nutrientes fundamentais para o bom funcionamento do nosso organismo, como o ferro, proteínas, cálcio e vitaminas de complexo B. Com a carência de proteínas, nosso corpo acaba absorvendo as dos músculos, deixando-os mais frágeis. Consequentemente ficamos mais sensíveis à dores. 
Devemos ter uma dieta com alimentos que sejam ricos em triptofano, pois ele é um aminoácido que contribui para a sintetização da serotonina (costumo dizer que é a molécula da alegria, pois ela é fundamental para evitar a depressão). Podemos encontrá-lo em alimentos como o grão-de-bico, chocolate, ovos, leite, carne, iogurte, salmão, etc.
Minerais como o cálcio e o magnésio ajudam na contração e relaxamento dos músculos, respectivamente. Os derivados do leite contêm ambos, mas para quem tem problemas com a lactosa, pode substituir pela soja. Cereais integrais, vegetais verdes (principalmente escuros), gergelim, amêndoas, banana e outras frutas são ricas nestes nutrientes. 
A vitamina E ajuda na prevenção de câimbras nas pernas, que ocorrem por conta do aumento da circulação sanguínea. É um ótimo antioxidante que encontramos no amendoim, carnes, gema de ovo e germe de trigo. 
São alguns exemplos de alimentos que servem para manter o bom funcionamento do nosso organismo e que ajudam a combater alguns sintomas. Mas é importante consultar um nutricionista, pois somente um profissional poderá indicar uma dieta mais adequada e personalizada.

 
"Comece fazendo o que é necessário, depois o que é possível , e de repente você estará fazendo o impossível." (Francisco de Assis)

                                  

Um comentário:

Sandra SS disse...

Muito legal descobrir que existe gente pública que também sofre com essa mesma síndrome. Afinal, acho que ela (infelizmente) não escolhe nada... Ataca quem ela quiser! Essa fibro danada!
Seu blog é descontraído, despretensioso e cheio de charme... Sem deixar é claro de informar.
Eu e um grupo de amigos fibromiálgicos formamos uma Associação Virtual, pq não temos recursos financeiros para abrir e mante-la legalmente. Porém, o fato dela ser virtual tem sido um facilitador nas comunicações e interações. Hoje abrangemos o mundo, com essa tal "globalização". Afinal, a fibro é globalizada também. Não é?
Bom, te convido para visitar-nos em nosso humilde e despretensioso blog abrafibro.blogspot.com
E parabéns pelo teu trabalho! Continue informando, afinal é uma das armas que temos contra a fibro. Abraços,
Sandra Santos (fibromiálgica também)